Impasse!!!!

 

 

 

Meia ou Inteira? Depende da carteira.

 

            Como é difícil ser jovem e estudante num país tão cheio de recalques e rancores quanto o Brasil! A cada dia que passa nos vemos tolhidos de nossos direitos e conquistas, como se as autoridades colocassem uma faca em nossas jugulares. Um dos exemplos mais antigos desse desrespeito é a questão das carteiras estudantis que garantem o direito à meia entrada em estabelecimentos culturais e de entretenimento. Pensam que todos aceitam o documento? Longe disso! Há quem desdenhe sequer a existência do benefício, tratando-o como desserviço à cultura. Cinemas, teatros, casas de show, circos, todos debatem sobre a legalidade da questão há bastante tempo e muitos reclamam do abuso da tarifa (os polêmicos 50%).

 

            Um grupo representativo das mais diversas classes artísticas contesta a taxa em demasia, dizendo que lutam apenas por suas sobrevivências trabalhistas. Será? Pedem para que haja uma redução no valor do desconto – uns falam em 30%, outros até em 15% -, acreditando com isso conseguirem manter as contas de seus espetáculos em dia. E, nesse sentido, os grupos teatrais são os mais agressivos na luta. No entanto, uma questão muito peculiar tem sido deixada de fora ao longo de toda essa batalha: o que pensam as platéias jovens sobre esse entrevero? O que será das salas de exibição caso continue essa batalha?

 

            O fato inegável é que os estudantes (ao lado das classes idosas, cabe aqui ressaltar) ainda são os maiores freqüentadores desse tipo de serviço em nosso país. Quem garante aos produtores culturais que com a redução do valor do desconto nas carteiras estudantis essa platéia não diminuirá? Que certeza tem eles na permanência do público jovem nas filas de cinema, teatro e outros estabelecimentos? Não podem eles optar pelo lançamento dos filmes em DVD, assistindo-os no conforto de suas casas, os shows musicais ao ar livre, gratuitos – uma prática que tem se tornado corrente, principalmente nas praias cariocas, de uns anos pra cá – e, pior ainda, na escolha definitiva pela pirataria, um mal que já causa estragos em demasia para esses mesmos produtores? Pensemos nessa questão.

 

            Os ingressos estão caros. E a grande verdade é que em muitos estabelecimentos culturais a carteira de estudante contribuiu e muito para esse aumento. Só que essa questão nunca é abordada no debate sobre a meia entrada para estudantes. Por que será? Outro ponto delicado a ser pesado na balança é a enorme quantidade de empresas privadas que produzem o discutido documento (como é o caso de algumas rádios brasileiras), quando tal benefício deveria ser de produção exclusiva das instituições de ensino. Há muito tempo me pego pensando porque o Ministério da Educação não elabora uma carteirinha única, comum a todos os estabelecimentos de ensino, sejam eles públicos ou privados. Já seria um bom começo e evitaria constantes discussões nas bilheterias. Mas como não sou detentor da verdade, passo a palavra às autoridades responsáveis pela contenda.

 

            Em suma, algo precisa ser mudado na lei ou na forma de execução da mesma. E urgente. Não dá mais para suportar o descaso de certas empresas que esnobam o benefício – que é um direito aprovado por lei -, sentindo-se menosprezadas, mas se esquecem que sem o documento o faturamento é bem menor. O que fazer? Como fazer? A que acordo chegar? Essa é a grande discussão.

 

 

         Foto: http://www.rondoniagora.com/web/ra/noticia

 

 

Anúncios

3 Respostas to “Impasse!!!!”

  1. Renata Says:

    Eu acho que independente de carteira de estudante, os preços de espetáculos em geral estão abusivos. Aqui em Sorocaba o cinema é um lixo e o valor inteiro de 14 reais simplesmente não valia a pena (acho que deu tanto problema que resolveram baixar e deixar meia entrada pra todo mundo, aumentando a frequência de quem não é estudante, e resolvendo o “problema” das carteirinhas, ao mesmo tempo). No Brasil é ilusão pensar que as pessoas tem 60, 80, 100 reais pra ver uma peça de teatro e manter as salas sempre lotadas. Tirando uma minoria, o resto tem que pensar vinte vezes antes de gastar esse dinheiro, ainda que cultura seja importantíssimo… e aí querem banir a meia entrada. Na minha opinião, quem consome meia entrada simplesmente vai parar de consumir. É o que eu faria. ..

  2. Wally Says:

    Felizmente nunca tive que encarar esse problema. A não ser em mudança de estado, ao utilizar carteirinha de outro. Mas sim, seu texto toca numa ferida bem fedida de hoje.

    Ciao!

  3. Otavio Almeida Says:

    Pois é… Os ingressos estão muito caros. Fora o estacionamento. A gente compra refrigerante, água, bala, pipoca. É dose. E quando tem companhia então? Aí é o dobro da brincadeira.

    Parabéns pelo texto! Algo precisa mudar! Abs!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: