Quem vence essa queda-de-braço?

MTV logo

 

O Caso MTV: televisão é isso?

 

            Nos últimos dias a discussão televisiva do momento tem sido a decisão da operadora de TV a Cabo Sky interromper as transmissões do canal MTV para a maioria dos estados brasileiros (excetuando-se São Paulo e algumas cidades de Recife e Adjacências). A diretora, mais do irritada, possessa, divulgou em sua programação uma chamada que traz à tona toda a insatisfação do grupo com a decisão atroz da emissora. Tendo como mote o slogan “Sky: televisão é isso? Televisão não é isso” ela mostra através de denúncias graves o quanto a relação entre a diretoria administrativa dos canais – não se limitando somente a MTV – e a operadora nacional é uma relação manipuladora, impondo aos assinantes um regime de escravidão (pois não lhes é dado quase que nenhum direito de escolha sobre o pacote que irá assinar, tendo de aceitar as exigências de um organização que mais parece, na visão deles, uma sucursal da antiga ditadura militar).

 

            Pensando nesse caso de forma mais detalhada e pesando os prós e os contras de todo esse dilema, veio-me a cabeça uma outra importante questão que, ao contrário da briga Sky X MTV, nunca é posta em debate por membros ligados às emissoras e operadoras a cabo: e quanto a qualidade da programação de televisão brasileira na última década? Isso mesmo! A qualidade. Ouço muito falar em TV digital, decodificadores de transmissão, HD isso, HD aquilo, imagem impecável, sem chuviscos, e tome 3G pra cá e portabilidade pra lá, em suma um infindável oásis de oportunidades referentes à tecnologia a ser implementada, mas quanto ao teor da programação não sinto a mesma confiança.

 

            Como pode uma emissora como a MTV (Music Television que há bastante tempo vem enveredando por um caminho distinto da música, deixando de lado seu passado de clipes e shows para dar voz a uma linguagem mais jovem e popular) reclamar da falta de profissionalismo da operadora Sky – e não estou aqui defendendo nenhum dos lados, pois realmente conheço pessoas que se dizem reféns de seus pacotes de programação, sendo obrigadas a engolir canais aos quais elas não têm o menor interesse – se ela própria, ao longo da última década, substituiu profissionais com um largo histórico de conhecimento musical, como os VJs Thunderbird, Zeca Camargo e Gastão, entre tantos, por outros mais jovens e de inferior cultura no ramo, por se adequarem simplesmente a uma faixa de público? É justa a decisão da MTV eleger quem é o seu público-alvo? Somente jovens gostam de músicas, clipes e shows?

 

            Voltando a discussão iniciada no 2º parágrafo: até quando teremos de aturar na nossa televisão programas de baixo calão, com tiradas cômicas (na visão deles, não a minha!) insuportáveis e difamatórias, os chamados reality shows que transformam pessoas sem o menor talento ou vocação em celebridades do dia pra noite e excessivos desrespeitos com o espectador ao programar verdadeiras obras-primas dramatúrgicas em horários impraticáveis para a maioria da população nacional?

 

            O caso MTV é muito mais grave do que uma simples questão de negociação de contrato ou aumento nos valores acordados anteriormente por ambas as partes. Ele trata de um insulto que vem sendo cometido contra a sociedade brasileira a muito tempo, quando as emissoras desistiram das pessoas cultas, que tinham realmente o que dizer e, por isso, estavam defendendo seus ideais na programação televisiva, e optaram pela facilidade de um sorriso rápido ou a sensualidade de um corpo esbelto. Como diria Gabriel, o pensador em seu rap: Até quando? Até quando teremos de aturar esse desrespeito?

 

            Televisão é isso? Respondam-me vocês, os que conhecem a resposta.

       

            Foto: www.lugarus.com

Anúncios

3 Respostas to “Quem vence essa queda-de-braço?”

  1. Ricardo Oliveira Says:

    Blz?

    Desculpa, mas queria opinar que acho bastante perigoso vc começar um texto que levanta um tema específico e usar apenas como base para revelar um problema que não tem nada a ver com o que foi levantado. Basicamente: a questão da MTV ter mudado ou não seu estilo de programação não tem nada a ver com o tema da possível censura que a SKY cometeu. Até porque só teria a ver se vc tivesse proposto que a SKY cancelou a MTV porque não acredita mais em sua programação.

    abraço’s [parabéns pela proposta de um blog para discutir estes assuntos.]

  2. Ancorar Says:

    não deu pra entender bem o que voce quer mostrar com este texto, mas só sei que o dono da Sky é um canalha: Hupert Murdoc, que dominou a TV na Inglaterra(menos a BBC) graças a um conluio com Margareth Tatcher. Em seguida estendeu tentaculos pelo mundo.
    Quanto a MTV, a tempos esta fraquissima. POrtanto, SKy X MTV trata-se da briga de um grande merda contra um merdinha, nada mais.

  3. Renata Says:

    A questão é que a programação da tv caminha cada vez mais para que tudo seja nivelado por baixo. É mais fácil mostrar ao povo o que ele pode entender do que educar para que seu nível cultural cresça e ele passe a exigir programas de qualidade.
    Qto à mtv, não vou opinar, pois nunca gostei de mtv =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: